Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SALPICOS DA VIDA

Cores, retalhos, pontos, momentos e emoções que vão acontecendo no tempo e na vida.

SALPICOS DA VIDA

Cores, retalhos, pontos, momentos e emoções que vão acontecendo no tempo e na vida.

Sab | 28.06.08

Hoje é o dia dos seus anos.

Maria

Querido pai, desde que me lembro, esta é a primeira vez em que não lhe dou os parabéns no dia do seu aniversário. Véspera de São Pedro, noite de saltar as fogueiras e bailaricos. O pai gostava do seu dia de anos, da alegria da noite de São Pedro. Por acaso chamaram-lhe José. Veio para este mundo com São Pedro, partiu com S. José. Foram companhias muito honrosas na sua existência.

Hoje é mais um dia difícil, em que a sua ausência é tão grande. Sei que está bem, cheio de luz porque foi bom, porque soube aceitar o bom e o mau que a vida lhe deu. Cumpriu o seu destino com sabedoria, paciência e aceitação. Foi grande nesta vida, é com certeza grande na outra. Sei que está  a olhar por nós, que ficará à nossa espera  - é o coração que mo diz, mas não sei o que fazer com esta dor, não consigo desfazer o nó que tenho na garganta e parar as lágrimas que teimam em correr pela cara abaixo. Também não quero que fique triste por nós. É assim porque não pode ser de outro modo. É a difícil aprendizagem de viver cada dia sem olhar os seus olhos, ouvir a sua voz de palavras sábias...

Hoje é o seu aniversário e não lhe posso dar prendas, dou-lhe o meu amor. Vou lá agora. Vou encher tudo de flores. Para si não faz diferença, para mim consola-me o olhar.

Um grande abraço meu querido pai

Sex | 27.06.08

Tempo é o melhor remédio

Maria

   Tal como todas as mães quero o melhor para os meus filhos. E o que quase todas as mães querem é que os seus rebentos vão para a Universidade e tirem um bom curso. Eu não sou excepção. Então imaginem quando o meu filhote, depois afirmar que queria seguir engenharia e terminar o 12º ano, chega ao pé de nós e diz;

 

   - Afinal não vou para engenharia, quero ir para turismo.

 

   Claro que me ia dando uma coisinha má. Fiquei mesmo mal. Não houve muita conversa porque ele tinha o direito de escolher, mas para mim também significava  voltar para trás e perder tempo.

 

   O rapaz, com toda a calma, lá voltou para a escola e fez as disciplinas que lhe faltavam. Depois entrou para a escola de hotelaria do Estoril.

 

   Agora imaginem a minha cara babada quando me sentei à mesa e fui luxuosamente servida, com uma refeição completa, confecionado pelo meu menino. Estava tudo delicioso.

 

   É tão importante seguir uma vocação para a vida. Não foi perda nenhuma, todos ficámos a ganhar.

   -Obrigada filhote.